Há onze anos nós perdemos Zilda Arns, idealizadora da Pastoral da Criança

12/01/2021 - 10:00

Nesta terça-feira (12), dentro do quadro Tá na História, do programa Manhã no Vale, recordou-se a história de uma grande mulher. No sul do estado do Rio, o nome dessa senhora jamais será esquecido, pois além de seus grandes feitos, o Hospital Regional, recém-inaugurado em Volta Redonda, leva a sua identidade. A persogem em questão é Zilda Arns, médica pediatra e sanitarista brasileira. Hoje completa onze anos de seu falecimento.

Zilda Arns nasceu no município de Forquilhinha-SC, no dia 25 de agosto de 1934. Filha de descentes alemães, ela era irmã de Dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo emérito de São Paulo. Aos 21 anos, ela se casou com Aloysio Neumann, e com ele teve seis filhos.

Em 1983, junto com o arcebispo-emérito de Salvador (Dom Geraldo Manjella), a médica produziu um plano para diminuir a mortalidade infantil. Daí surgiu a Pastoral da Criança.

As ações da pastoral, no início, se concentravam apenas no Paraná, estado onde Zilda Arnes se formou em medicina. Porém, com o tempo, mais pessoas chegaram para somar forças na Pastoral da Criança, que não se limitou mais em atuar apenas no Sul do país. Por seu trabalho, reconhecido mundialmente, principalmente pela redução da mortalidade infantil, Zilda Arns recebeu uma Indicação ao Prêmio Nobel da Paz em 2006.

No dia 12 de janeiro de 2010, a brasileira havia acabado de se apresentar em uma palestra, em Porto Príncipe, capital do Haiti. Naquele momento, um terremoto de grandes proporções atingiu a localidade. O prédio onde Zilda Arns estava, que tinha três andares, veio abaixo em poucos minutos. Ela faleceu aos 75 anos. Fisicamente, ela já não está presente, no entanto, suas obras espalhadas pelo país para todos conferirem.

"Amar é acolher, é compreender, é fazer o outro crescer." Zilda Arns

O quadro Tá na História vai ao ar todas às terça e quintas-feiras no programa Manhã no Vale, que começa às 08h.

Foto em destaque: Reprodução