Cidades brasileiras têm atos contra cortes na educação

15/05/2019 - 11:01

Cidades brasileiras começaram, na manhã desta quarta-feira, 15, a ter manifestações contra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo MEC. Até o momento, pelo menos 24 estados e o Distrito Federal tinham registrado atos pacíficos. Universidades e escolas também tiveram paralisações.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado para explicar ao plenário da Câmara dos Deputados sobre os contingenciamentos na área.

A convocação coincide com a paralisação de estudantes e professores contrários aos cortes na Educação, prevista para esta quarta-feira, 15 , em todo país.

Entidades ligadas a movimentos estudantis, sociais e a partidos políticos e sindicatos convocaram a população para uma greve de um dia contra as medidas na educação anunciadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em abril, o Ministério da Educação divulgou que todas as universidades e institutos federais teriam bloqueio de recursos. Em maio, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou sobre a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

Em Volta Redonda, as atividades desta quarta-feira, 15, começaram às 8h com uma assembléia da Rede Municipal, na Câmara, às 10h foi programado  um Ato em defesa da Educação, na Praça da Prefeitura. No período da tarde, às 13h será realizada uma Feira de Projetos da UFF e depois às 16h, um Ato unificado com a UFF e o IFRJ.